A Volta ao Mundo Através das Cervejas Especiais #Around the World of Beers

Paixão nacional, a história da cerveja no Brasil data de 1637, quando Maurício de Nassau chegou ao Recife. De lá para cá, não paramos mais de apreciar esse ouro em estado líquido e hoje somos o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, atrás apenas da China e dos Estados Unidos. Segundo a Associação Brasileira de Indústria da Cerveja, produzimos cerca de 13 bilhões de litros por ano. É cerveja à beça!

Curiosos que somos, sabemos também o valor de apreciar a produção cervejeira de outros países que entendem do assunto. Tem crescido consideravelmente no nosso país o fluxo de importadores de grandes e pequenos lotes de cervejas importadas. Nós achamos isso excelente! Lager, Vienna, Bock, Keller, as opções são muitas, em várias cores e densidades. Umas mais encorpadas que outras.

Mundo das Cervejas

Mas quais são as diferenças das cervejas especiais? Simples. Elas geralmente são produzidas com algum ingrediente a mais, apresentam uma composição distinta, diferente das cervejas mais populares comercialmente. As especiais podem ser de produção artesanal, preparadas com base em receitas antigas e com material de melhor qualidade.

Mas e aí, qual é a melhor cerveja do mundo? Essa é uma resposta bem pessoal. Vale a pena experimentar por si só ou fazer um Pub Crawl em busca da breja perfeita. Para começar, a gente indica algumas cervejas especiais indispensáveis, das américas e além mar. Confira!

Red Ale da Cervejaria Norden  (Brasil)

Esse “vermelho” infelizmente virou Vintage. Não está disponível no momento e por isso quase não foi listado. Mas, alem de uma grande esperança que nunca morreu, ha indícios de uma eventual volta ao mercado ou ao menos um quick comeback pra a temporada de verão. Uma das melhores experiencias de João Pessoa sempre foi degustar a qualidade deste maravilhoso Red Ale feito aqui entre o estuário do Rio Paraíba e o litoral azul Paraibano. Frutado na medida certa, muito bem equilibrado, redondo, aromático, enfim esplendoroso!!!

Patricia Salus (Uruguai)

Essa cerveja com nome de mulher e logotipo que remete ao gótico vem do nosso vizinho Uruguai. Consiste em uma Pale Lager de cor dourada e límpida. Aprecie o sabor de maltes e cereais com leve amargor no final.

Red Stripe (Jamaica)

Essa representante da terra do Mestre Bob Marley é também uma Lager bastante refrescante. A garrafinha inconfundível com sua listra vermelha traz um conteúdo rico e ideal para os dias de calor.

Evil Twin Hipster Ale (EUA)

Agora os hipsters, caras considerados “moderninhos” e conhecidos por rejeitarem tudo o que é muito mainstream ou popular, podem ter uma cerveja para chamar de sua. Geralmente as cervejas norteamericana são feitas com muito cuidado e refinamento e a Evil Twin não foge à regra! Seja você hipster ou não, vale a pena experimentar esse aroma maltado, caramelado e lupulado. O paladar com final seco, médio amargor e toque picante intriga e é bem distinto.

Paulaner Original Munchner Hell (Alemanha)

A tradição cervejeira alemã é famosa principalmente na região da Bavária, de onde vem a Paulaner, uma das maiores cervejarias de Munique. O sabor de malte pronunciado é bem característico desse tipo de Lager conhecido como Munchner Helles, simplesmente a cerveja bávara mais vendida no mundo. Como dizem os alemães: “Ein Prosit”!

Guinness (Irlanda)

Pensou em uma outra opção Irlandesa? A Guinness costuma sempre vir em mente e não é pra menos: essa cerveja tem quase 300 anos de história! A marca ocupa o posto de sexta cervejaria no mundo e continua a fazer uso de fórmula simples com malte irlandês, água de Dublin, lúpulo e levedura. Aprecie essa cerveja escura de preferência em um bom pub com boa conversa e música excelente.

Delirium Tremens (Bélgica)

Não dá para negar que o elefante rosa no rótulo da Delirium se faz inconfundível. Você com certeza já viu ele por aí. Considerada uma das melhores cervejas do mundo, ela é triplamente fermentada, sendo que a última fermentação é realizada na própria garrafa. Técnicas de quem entende do assunto, como a cervejaria belga Huyghe. Uma ótima opção no estilo Belgian Golden Strong Ale.

Darling Brew (África do Sul)

O que acontece quando viajantes transitam sem destino pelo continente africano? A resposta certamente não seria “eles abrem uma cervejaria genial”, mas foi o que alguns caras fizeram em 2007. O resultado dessa ideia consiste hoje numa singular lager de aroma frutado, toque leve de banana, espuma clara e muita carbonatação.

Tiger Beer (Cingapura)

Não poderíamos deixar a Ásia fora das dicas. A Tiger Beer, uma das cervejas mais populares do continente, é produzida em Cingapura. Com aroma de pão, milho e elementos florais, apresenta teor alcólico de 5% em uma coloração clara e translúcida. Uma American Lager bastante diferente em que é possível notar um leve toque de maçã no sabor.

Coopers Extra Strong Vintage Ale (Austrália)

Essa australiana é forte. A Coopers Vintage Ale passa por um longo processo de fermentação, sendo produzida com malte especial. Armazenada em barris de carvalho, seu sabor encorpa com o tempo e apresenta um toque frutado com algum leve amargor. Ideal para ser apreciada com queijos e pratos quentes.

 

fonte: excelente trabalho direto do Homem On

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s